UGT SAÚDA VITÓRIA DO PSD

Na análise dos resultados eleitorais a UGT destaca em particular:
• A esmagadora maioria obtida pelos Partidos que defendem o reforço da construção europeia, a aprovação do Tratado de Lisboa e a construção de uma União em que a dimensão económica e a dimensão social caminhem lado a lado;
• O elevado nível de abstenção que traduz que os cidadãos exigem maior participação e transparência nas decisões comunitária e na construção de uma cidadania europeia activa;
• Que em Portugal, ao contrário de outros Países, não houve votação em partidos racistas ou xenófobos, demonstrando que os cidadãos reconhecem a contribuição dos imigrantes para o desenvolvimento económico e social.

O resultado eleitoral traduz também a preocupação dos cidadãos com a actual situação económica e social.

É necessário reforçar as medidas de combate à crise, quer a nível nacional, quer a nível europeu, de modo a travar o insustentável nível de crescimento do desemprego, que agrava situações de pobreza e exclusão e cria uma grande insegurança naqueles que hoje tem um posto de trabalho, particularmente face à elevada precariedade existente e que afecta sobretudo os jovens.

Por isso a UGT insiste na necessidade do reforço das medidas de criação e manutenção dos postos de trabalho e na protecção dos desempregados, continuando a bater-se em especial pela aprovação das medidas que constam da Resolução de Urgência aprovada no Congresso da UGT, realizado no passado mês de Março.

O Parlamento Europeu deve bater-se pelo aprofundamento da Europa Social, chamando a UGT a atenção para o Manifesto para as eleições ao PE aprovado pelo seu Secretariado Nacional em 21/5/09 e, nomeadamente, através da aprovação do Protocolo Social e do apoio a um novo Contrato Social para a Europa, nos termos aprovados pela Conferência de Paris realizada em 27 e 28 de Maio pela Confederação Europeia de Sindicatos.

 

Secretariado Executivo, 9 de Junho de 2009.

¡Atenção! Este sitio usa cookies e tecnologías similares.

Se não alterar as configurações do seu Browser, está a concordar com o seu uso. Learn more

I understand

Lei n.º 46/2012

(...)

Artº 5

1 - "O armazenamento de informações e a possibi-lidade de acesso à informação armazenada no equipamento terminal de um assinante ou utilizador apenas são permitidos se estes tiverem dado o seu consentimento prévio, com base em informações claras e completas nos termos da Lei de Proteção de Dados Pessoais, nomeadamente quanto aos objetivos do processamento.

2 — O disposto no presente artigo e no artigo anterior não impede o armazenamento técnico ou o acesso:
a) Que tenha como única finalidade transmitir uma comunicação através de uma rede de comunicações eletrónicas;
b) Estritamente necessário ao fornecedor para fornecer um serviço da sociedade de informação solicitado expressamente pelo assinante ou utilizador.

(...)