Portugal não vai criar emprego em 2009


O retrato traçado ontem pela Comissão Europeia (CE) para Portugal coloca a economia à beira da recessão em 2009 com as famílias a sentirem aí toda a força da crise: a economia não vai criar emprego, a taxa de desemprego subirá para 7,9% e o consumo privado ficará próximo da estagnação. A ajudar estará apenas um abrandamento da inflação que, mesmo assim, não evitará um crescimento salarial real de apenas 0,3%.

As previsões divulgadas pelo comissário Joaquín Almunia ficam longe do cenário incluído pelo Governo no Orçamento do Estado (OE) para 2009 - que está neste momento em apreciação no Parlamento - e que o ministro das Finanças, caracterizou como sendo "realista, de prudência e de rigor".

Segundo a Bruxelas, Portugal crescerá apenas 0,5% este ano e 0,1% no próximo em linha com a previsão do FMI), valores que comparam com os 0,8% e 0,6% do Terreiro do Paço. A equipa de Almunia espera três trimestres de crescimento negativo em 2008, com a economia a entrar em recessão na segunda metade deste ano, e a não crescer mais que 0,1% em qualquer trimestre do próximo. A violência da crise é tal que, em 2010, a taxa de crescimento prevista não ultrapassa os 0,7%.

¡Atenção! Este sitio usa cookies e tecnologías similares.

Se não alterar as configurações do seu Browser, está a concordar com o seu uso. Learn more

I understand

Lei n.º 46/2012

(...)

Artº 5

1 - "O armazenamento de informações e a possibi-lidade de acesso à informação armazenada no equipamento terminal de um assinante ou utilizador apenas são permitidos se estes tiverem dado o seu consentimento prévio, com base em informações claras e completas nos termos da Lei de Proteção de Dados Pessoais, nomeadamente quanto aos objetivos do processamento.

2 — O disposto no presente artigo e no artigo anterior não impede o armazenamento técnico ou o acesso:
a) Que tenha como única finalidade transmitir uma comunicação através de uma rede de comunicações eletrónicas;
b) Estritamente necessário ao fornecedor para fornecer um serviço da sociedade de informação solicitado expressamente pelo assinante ou utilizador.

(...)