TSD reunem com o Presidente da República e saudam o Acordo de Concertação Social


Por uma feliz coincidência a data escolhida pela Presidência da República, de há umas semanas a esta parte, para a audiência determinou que a mesma tivesse lugar no exacto dia em que decorria a derradeira reunião da CPCS que culminou no Compromisso Tripartido para o Crescimento, Competitividade e Emprego.

Apesar de, tal Acordo, ainda não ter sido obtido ainda à hora em que decorreu a audiência, o tema foi central na reunião que a nossa estrutura laboral teve com o Chefe de Estado tendo-se verificado uma leitura convergente sobre a necessidade de se ultrapassarem as divergências entre as partes por forma a alcançar um compromisso tendo em conta o superior interesse nacional numa conjuntura particularmente adversa e num ano crucial para o ajustamento da economia portuguesa como é o presente.


Compromisso Tripartido para o Crescimento, Competitividade e Emprego obtido na CPCS

Os TSD não podem deixar de saudar efusivamente o Acordo tripartido alcançado já na madrugada de hoje entre o Governo, a UGT e as Confederações Patronais.

De facto era importante que, perante um quadro tão exigente do ponto de vista económico-social, os parceiros estivessem à altura das suas responsabilidades.
Tal Acordo representa, igualmente, uma valorização da Concertação Social como instrumento estratégico de diálogo estruturado e de busca de consensos. Foi gratificante verificar o elevado sentido patriótico de todos os signatários e que o espírito de diálogo e o bom senso prevaleceram apesar das dificuldades e das divergências que tinham à partida.

Contrastando com outros países da zona Euro em dificuldades, Portugal através do exemplo dado pelos parceiros sociais, vem demonstrar que sabe ultrapassar as suas divergências e unir-se em momentos cruciais e entende ser esse o melhor caminho para vencer a crise salvaguardando a coesão social.

Lisboa, 17 de Janeiro de 2012


O Secretariado Nacional dos TSD

¡Atenção! Este sitio usa cookies e tecnologías similares.

Se não alterar as configurações do seu Browser, está a concordar com o seu uso. Learn more

I understand

Lei n.º 46/2012

(...)

Artº 5

1 - "O armazenamento de informações e a possibi-lidade de acesso à informação armazenada no equipamento terminal de um assinante ou utilizador apenas são permitidos se estes tiverem dado o seu consentimento prévio, com base em informações claras e completas nos termos da Lei de Proteção de Dados Pessoais, nomeadamente quanto aos objetivos do processamento.

2 — O disposto no presente artigo e no artigo anterior não impede o armazenamento técnico ou o acesso:
a) Que tenha como única finalidade transmitir uma comunicação através de uma rede de comunicações eletrónicas;
b) Estritamente necessário ao fornecedor para fornecer um serviço da sociedade de informação solicitado expressamente pelo assinante ou utilizador.

(...)