TSD pedem "clima de diálogo" na concertação social

Esta estrutura do PSD afirmou ainda que o "clima de diálogo" deverá prevalecer uma vez que "os desafios do presente e do futuro implicam a convergência dos esforços de todos".

Já na sequência da greve geral, na quinta-feira, os líderes das duas centrais sindicais tinham pedido que esta paralisação abrisse portas à uma negociação séria entre Governo, sindicatos e estruturas patronais.

"Depois da greve queremos que o Governo mude o comportamento na negociação colectiva, com sacrifícios equitativamente distribuídos", defendeu então João Proença, secretário-geral da UGT, numa mensagem partilhada pelo líder da CGTP, Carvalho da Silva, que afirmou que "tem de acabar o faz-de-conta da concertação social".

Os TSD destacaram ainda que a greve geral decorreu "de modo ordeiro" e aproveitaram a nota à imprensa para "repudiar os incidentes que tiveram lugar frente à Assembleia da República", em Lisboa, na quinta-feira.

Os TSD atribuíram os incidente a "pessoas que não aceitam o jogo democrático e institucional e que procuram apenas criar um clima anárquico contrário aos interesses de Portugal e dos portugueses" e referiram que a atuação das forças de segurança foi "de saudar" uma vez que os agentes operaram "sem excessos e claramente dentro dos limites impostos pela legalidade e o bom senso".

 

¡Atenção! Este sitio usa cookies e tecnologías similares.

Se não alterar as configurações do seu Browser, está a concordar com o seu uso. Learn more

I understand

Lei n.º 46/2012

(...)

Artº 5

1 - "O armazenamento de informações e a possibi-lidade de acesso à informação armazenada no equipamento terminal de um assinante ou utilizador apenas são permitidos se estes tiverem dado o seu consentimento prévio, com base em informações claras e completas nos termos da Lei de Proteção de Dados Pessoais, nomeadamente quanto aos objetivos do processamento.

2 — O disposto no presente artigo e no artigo anterior não impede o armazenamento técnico ou o acesso:
a) Que tenha como única finalidade transmitir uma comunicação através de uma rede de comunicações eletrónicas;
b) Estritamente necessário ao fornecedor para fornecer um serviço da sociedade de informação solicitado expressamente pelo assinante ou utilizador.

(...)