PSD Viana e TSD esperançados na viabilização de Estaleiros de Viana


Segundo Eduardo Teixeira, "quer as administrações da Empordef e dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo, quer o próprio Ministério da Defesa", estão a "trabalhar afincadamente" para encontrar uma solução. "Mas, como nos foi explicado, trata-se de um processo complexo que não pode ser fechado rapidamente", acrescentou o deputado social-democrata. A 01 de Novembro, a Empordef admitiu que ainda não tinha feito chegar ao Governo qualquer proposta de viabilização dos ENVC.
A holding das indústrias da Defesa garantia, contudo, que "tudo está a ser feito para assegurar o futuro" da empresa e que "prosseguem as conversações com os potenciais investidores que garantam a viabilidade financeira dos ENVC". "Uma vez concluídas as conversações, em curso" será apresentada "tão rápido quanto possível, uma análise sobre as condições de viabilidade da empresa".
Em Setembro, o ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, concedeu um prolongamento "entre Setembro e Outubro" do prazo dado à Empordef para encontrar uma solução para os Estaleiros Navais de Viana do Castelo. Actualmente com um passivo de 240 milhões de euros, a administração anterior dos ENVC chegou a anunciar o despedimento de 380 trabalhadores. A Empordef, detentora da totalidade do capital social dos ENVC, garante que "até à conclusão deste processo está assegurada a manutenção dos postos de trabalho", na ordem dos cerca de 700.

¡Atenção! Este sitio usa cookies e tecnologías similares.

Se não alterar as configurações do seu Browser, está a concordar com o seu uso. Learn more

I understand

Lei n.º 46/2012

(...)

Artº 5

1 - "O armazenamento de informações e a possibi-lidade de acesso à informação armazenada no equipamento terminal de um assinante ou utilizador apenas são permitidos se estes tiverem dado o seu consentimento prévio, com base em informações claras e completas nos termos da Lei de Proteção de Dados Pessoais, nomeadamente quanto aos objetivos do processamento.

2 — O disposto no presente artigo e no artigo anterior não impede o armazenamento técnico ou o acesso:
a) Que tenha como única finalidade transmitir uma comunicação através de uma rede de comunicações eletrónicas;
b) Estritamente necessário ao fornecedor para fornecer um serviço da sociedade de informação solicitado expressamente pelo assinante ou utilizador.

(...)