Novo Governo: TSD consideram que elenco governativo é garantia de "boa governação"

Lisboa, 18 jun (Lusa) - Os Trabalhadores Social Democratas (TSD) consideraram hoje que o novo Governo reúne as qualidades necessárias para garantir uma boa governação, que dê cumprimento ao memorando assinado com a 'troika' internacional e resgate financeiramente o país.

"O novo Governo agrada-nos porque há nele um misto de experiência, qualidade técnica e juventude e há também quem dê garantias de coordenação política eficaz", disse à agência Lusa o secretário-geral dos TSD, Pedro Roque.

Para Pedro Roque, o "bom entendimento" conseguido entre o PSD e o CDS/PP é uma garantia de "uma boa governação", resultante de uma "maioria confortável".

"Há vontade de cumprir o memorando assinado com a 'troika' e por essa via resgatar o país em termos financeiros", afirmou o líder dos TSD.

Salientou que os TSD, mais vocacionados para as áreas sociais, não ficaram desagradados com a colocação do trabalho no Ministério da Economia.

"Esta pode ser uma combinação virtuosa", afirmou, acrescentando que a criação de emprego depende da criação de riqueza, que depende da economia.

O novo Governo de maioria PSD/CDS-PP irá tomar posse na terça-feira.

O novo Executivo de 11 ministros inclui oito estreantes em funções executivas e duas mulheres, enquanto três futuros ministros já desempenharam funções em anteriores governos.

Além do primeiro-ministro indigitado, que também nunca integrou qualquer Governo, e excluindo os secretários de Estado já divulgados, só o líder do CDS-PP, Paulo Portas, que será ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, José Pedro Aguiar-Branco (Defesa) e Miguel Macedo (Administração Interna) já ocuparam posições de responsabilidade governativa.

RRA.

Lusa

¡Atenção! Este sitio usa cookies e tecnologías similares.

Se não alterar as configurações do seu Browser, está a concordar com o seu uso. Learn more

I understand

Lei n.º 46/2012

(...)

Artº 5

1 - "O armazenamento de informações e a possibi-lidade de acesso à informação armazenada no equipamento terminal de um assinante ou utilizador apenas são permitidos se estes tiverem dado o seu consentimento prévio, com base em informações claras e completas nos termos da Lei de Proteção de Dados Pessoais, nomeadamente quanto aos objetivos do processamento.

2 — O disposto no presente artigo e no artigo anterior não impede o armazenamento técnico ou o acesso:
a) Que tenha como única finalidade transmitir uma comunicação através de uma rede de comunicações eletrónicas;
b) Estritamente necessário ao fornecedor para fornecer um serviço da sociedade de informação solicitado expressamente pelo assinante ou utilizador.

(...)