Eleições Presidenciais TSD apoiam Prof. Aníbal Cavaco Silva

Mais do que nunca, Portugal precisa na Presidência da República de alguém que determine os seus actos e decisões políticas pelo bom senso, o interesse nacional, o espírito patriótico e transmita uma ideia consistente de Futuro.

Portugal e os portugueses, nesta hora de grandes incertezas, precisam que na Presidência da República, exista um farol de estabilidade e de visão política que aponte um rumo, não se resigne e que garanta a confiança e a esperança do País. Não é tempo de aventuras.

O Prof. Cavaco Silva demonstrou ao longo do seu mandato não agir por razões partidárias ou simpatias políticas, mas colocou-se sempre na posição institucional de Presidente de todos os portugueses, independentemente do quadrante político ou extracto social de cada um.

O Prof. Cavaco Silva defendeu e continua a defender, de forma consequente, a coesão económica e social e a concertação social como um instrumento privilegiado para envolver os parceiros sociais e com eles procurar vias de convergência e consensos que permitam construir políticas capazes de enfrentar as dificuldades financeiras, económicas e sociais com que Portugal se debate e de abrir horizontes portadores de esperança no Futuro.

É por estas razões que os TSD manifestam publicamente o seu total apoio à recandidatura do Prof. Aníbal Cavaco Silva à Presidência da República Portuguesa, na firme convicção de que estão a defender os superiores interesses do País. 

Lisboa, 9 de Novembro de 2010

Pel’ O Secretariado Nacional

 

Arménio Santos

(Secretário Geral)

 

 

 


¡Atenção! Este sitio usa cookies e tecnologías similares.

Se não alterar as configurações do seu Browser, está a concordar com o seu uso. Learn more

I understand

Lei n.º 46/2012

(...)

Artº 5

1 - "O armazenamento de informações e a possibi-lidade de acesso à informação armazenada no equipamento terminal de um assinante ou utilizador apenas são permitidos se estes tiverem dado o seu consentimento prévio, com base em informações claras e completas nos termos da Lei de Proteção de Dados Pessoais, nomeadamente quanto aos objetivos do processamento.

2 — O disposto no presente artigo e no artigo anterior não impede o armazenamento técnico ou o acesso:
a) Que tenha como única finalidade transmitir uma comunicação através de uma rede de comunicações eletrónicas;
b) Estritamente necessário ao fornecedor para fornecer um serviço da sociedade de informação solicitado expressamente pelo assinante ou utilizador.

(...)