Direcção Nacional da PSP Deve ter Bom Senso

São posições de princípio, que os TSD sempre defenderam e mantêm-se fiéis a essas posições.
 
Porém, a decisão da Direcção Nacional da PSP em suspender o Presidente do Sindicato que
tinha apresentado um pré-aviso de greve, na nossa opinião, é tão extremista e tão
desproporcionada que só revela falta de bom senso.
 
A Direcção Nacional da PSP utilizou a “bomba de neutrões” perante a apresentação de um
pré-aviso de greve, decidido não pelo Presidente do Sindicato mas pela Assembleia Geral do
Sindicato. Por outro lado, de pré-aviso até à greve, há uma grande distância.
 
Os TSD estão convictos de que a generalidade dos profissionais da PSP respeitam a legalidade
com a mesma determinação com que zelam pelo seu cumprimento na sociedade.
 
Daí que os TSD não possam deixar de estranhar e lamentar que a Direcção Nacional da PSP
tenha actuado de uma forma que mais parece uma perseguição a um sindicalista, do que o uso
do poder com equilíbrio e sentido de proporcionalidade.
 
Convidamos a Direcção Nacional da PSP a ser mais ponderada na retaliação aos sindicalistas e
que seja mais empenhada a resolver os inúmeros problemas que afectam a dignidade dos
profissionais da Instituição PSP.
 
Lisboa, 9 de Setembro de 2010
O Secretariado Nacional

¡Atenção! Este sitio usa cookies e tecnologías similares.

Se não alterar as configurações do seu Browser, está a concordar com o seu uso. Learn more

I understand

Lei n.º 46/2012

(...)

Artº 5

1 - "O armazenamento de informações e a possibi-lidade de acesso à informação armazenada no equipamento terminal de um assinante ou utilizador apenas são permitidos se estes tiverem dado o seu consentimento prévio, com base em informações claras e completas nos termos da Lei de Proteção de Dados Pessoais, nomeadamente quanto aos objetivos do processamento.

2 — O disposto no presente artigo e no artigo anterior não impede o armazenamento técnico ou o acesso:
a) Que tenha como única finalidade transmitir uma comunicação através de uma rede de comunicações eletrónicas;
b) Estritamente necessário ao fornecedor para fornecer um serviço da sociedade de informação solicitado expressamente pelo assinante ou utilizador.

(...)